CGTN, China

CGTN: preparação da China para ajustar suas políticas contra a COVID-19

05.01.2023 - 19:57:19

CGTN: preparação da China para ajustar suas políticas contra a COVID-19. CGTN Algeria Bahrain Egypt Iran Iraq Jordan Kuwait Lebanon Libya Morocco Oman Qatar Saudi Arabia Syria Tunisia United Arab Emirates Yemen Angola Botswana Ethiopia Gambia Ghana Guinea-Bissau Kenya Lesotho Liberia Malawi Maldives Mozambique Namibia Nigeria Sierra Leone Somalia South Africa Swaziland Tanzania Uganda Zambia Zimbabwe China

PEQUIM, 5 de janeiro de 2023 /PRNewswire/ -- Desde que a China priorizou sua resposta à COVID-19 da política dinâmica de zero-COVID, alguns meios de comunicação e intelectuais ocidentais vêm questionando a "prontidão" da China de fazer a mudança.

A preparação só pode ser avaliada pelos resultados obtidos - no caso da COVID-19, o número de vidas salvas. Desde o surto, a China vem preparando os chineses para lidar com o vírus. A política dinâmica de zero-COVID foi implementada para ganhar tempo para que a cepa original mortal e as variantes subsequentes se tornassem menos fatais.

Li Guangxi, especialista do Mecanismo Conjunto de Prevenção e Controle do Conselho de Estado, disse em uma entrevista de que "quando o vírus chegou ao mundo, ele se apresentou com gravidade. Isso fez com que os hospitais, especialmente os leitos de UTI, ficassem ocupados. Aconteceu em todas as partes do mundo." "E agora, uma vez que o vírus se torna muito menos grave e leve, neste momento, queremos facilitar nossas medidas. Certamente teremos um aumento nos casos. No entanto, a taxa de mortalidade e o tipo grave de COVID-19 serão muito menores do que antes", disse Li.

De acordo com Wu Zunyou, epidemiologista-chefe do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças, a proporção de casos graves e críticos caiu de 16,47% em 2020 para 0,18% nos últimos tempos.

O diretor do departamento de administração médica da Comissão Nacional de Saúde, Jiao Yahui, declarou em uma entrevista coletiva em dezembro que os hospitais temporários para COVID-19 da China serão adaptados e equipados com mais capacidades de tratamento para se tornarem hospitais subdesignados para pacientes com COVID-19. A China dispõe de cerca de 138.100 leitos para cuidados intensivos, 10 por 100 mil pessoas. Há um total de 80.500 especialistas em cuidados intensivos e 220 mil profissionais de enfermagem de terapia intensiva na China, e mais de 106 mil médicos e 178 mil profissionais de enfermagem são capazes de lidar com atividades em UTI.

Para proteger a população vulnerável, incluindo os idosos, que são um desafio crítico para o país, a China lançou a segunda dose de reforço da COVID-19 em 14 de dezembro. A vacina inalável também foi lançada para aqueles que estão cansados ou incapazes de receber uma injeção no braço.

Os suprimentos de medicamentos antiepidêmicos também foram intensificados. A administração e as autoridades de medicamentos de Pequim enviaram grupos de trabalho conjuntos de mais de 50 pessoas para cinco grandes empresas farmacêuticas atacadistas em Pequim para aliviar a escassez de medicamentos para tratamento e prevenção de epidemias. Os dados do China Resources Pharmaceutical Commercial Group Co., Ltd mostraram que a empresa forneceu mais de 3,5 milhões de caixas de medicamentos antiepidêmicos para mais de quatro mil clientes em Pequim em uma semana, que incluíram 300 hospitais, mais de 2.200 centros comunitários de saúde e mais de 1.500 farmácias de varejo.

Em Xangai, foi solicitado que as clínicas de doenças infecciosas em 145 hospitais secundários e de nível superior permanecessem totalmente abertas. Na província de Zhejiang, foram abertos hospitais de internet em algumas cidades para responder à crescente demanda por diagnóstico e tratamento em clínicas de doenças infecciosas.

A prevenção e o controle são um processo de estabelecer instituições e impulsionar os recursos médicos para lidar com as situações em evolução. A China se adaptou rapidamente à situação atual e fez ajustes com base no feedback do público e da comunidade médica. E a mudança de políticas reflete o fato de que a China está pronta para enfrentar o que vem a seguir.

https://news.cgtn.com/news/2022-12-31/Is-China-prepared-for-shift-in-COVID-19-policies-Yes--1gcS2Uz1GYE/index.html 

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1977230/image1.jpg

 

FONTE CGTN

@ prnewswire.co.uk