CGTN, China

CGTN: política dinâmica de zero-COVID da China estabelece a base para a reabertura

05.01.2023 - 21:41:25

CGTN: política dinâmica de zero-COVID da China estabelece a base para a reabertura. CGTN Algeria Bahrain Egypt Iran Iraq Jordan Kuwait Lebanon Libya Morocco Oman Qatar Saudi Arabia Syria Tunisia United Arab Emirates Yemen Angola Botswana Ethiopia Gambia Ghana Guinea-Bissau Kenya Lesotho Liberia Malawi Maldives Mozambique Namibia Nigeria Sierra Leone Somalia South Africa Swaziland Tanzania Uganda Zambia Zimbabwe China

PEQUIM, 5 de janeiro de 2023 /PRNewswire/ -- A China ajustou sua resposta à prevenção e controle da COVID-19 nas últimas semanas. O país anunciou que rebaixará o controle da COVID-19 de doença infecciosa de classe A para classe B, retomando a emissão de passaportes e vistos, além de facilitar as políticas de entrada na fronteira a partir de 8 de janeiro de 2023. Outra medida adotada foi a mudança do nome chinês da doença de "nova pneumonia do coronavírus" para "nova infecção por coronavírus".

A decisão da China atraiu críticas generalizadas de uma seção dos meios de comunicação ocidentais, e também dos círculos políticos e intelectuais ocidentais, assim como da política "dinâmica de zero-COVID" anterior. As críticas vão desde a comparação do mais recente surto da COVID-19 na China a uma "catástrofe" que poderia "colocar a economia global em risco" até o alarmismo sobre o surgimento de "novos mutantes do coronavírus".

Mao Ning, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, disse: "Atualmente, estamos adaptando nossas medidas de resposta à COVID-19 aos novos desenvolvimentos da epidemia, de modo a coordenar melhor a resposta à epidemia e o desenvolvimento socioeconômico. Acreditamos que, com os esforços conjuntos e a solidariedade do povo chinês, daremos início a uma nova fase de desenvolvimento econômico e social estável e ordenado."

A política dinâmica de zero-COVID da China protegeu a vida das pessoas e ganhou tempo para entender o vírus com base na ciência, para a pesquisa e desenvolvimento de vacinas, medicamentos antivirais e terapêuticos e para vacinar mais pessoas em todo o país.

De acordo com os dados oficiais mais recentes, a China administrou mais de 3,4 bilhões de doses de vacinas contra a COVID-19 em todo o país, com mais de 90% de sua população de 1,4 bilhão totalmente vacinada. Mais de 87% das pessoas com mais de 60 anos de idade foram totalmente vacinadas. Além disso, a China lançou a segunda dose de reforço com 13 tipos de vacinas contra a COVID-19 aprovadas para esse fim.

Os números falam por si só. Até hoje, a China tem o menor número de mortes por COVID-19 entre os principais países do mundo. Por outro lado, os EUA, com um quarto da população da China, registraram mais de um milhão de mortes. Os últimos três anos estabeleceram as bases para os ajustes políticos da China.

https://news.cgtn.com/news/2022-12-30/China-s-dynamic-zero-COVID-policy-sets-the-foundation-for-reopening-1gbxNZWCc5a/index.html

Foto - https://mma.prnewswire.com/media/1977234/image_5009787_56848886.jpg

FONTE CGTN

@ prnewswire.co.uk